Sergio Moraes - Reuters
O que mais uma atleta campeã mundial e olímpica espera em sua carreira? Para Rafaela Silva, a resposta é simples: o próximo passo. Nesta quinta-feira, a judoca da categoria até 57kg recebeu mais uma chance para cravar seu nome na história do esporte mundial, com a convocação para o Mundial de Budapeste.
 
A competição acontece na Hungria entre os dias 28 de agosto e 3 de setembro, e, nela, Rafaela tentará seu segundo título dessa magnitude, visto que já subiu ao ponto mais alto do pódio em 2013, no Rio de Janeiro, mesmo local em que recebeu o ouro na Olimpíada de 2016.
 
– É sempre empolgante ver seu nome em uma lista para uma competição tão importante, principalmente agora, que vivo uma das fases mais incríveis da minha vida. Entrarei com tudo por essa medalha, não tenham dúvidas disso – comentou a judoca, antes de completar: 
 
– Certamente esse Mundial será mais difícil para mim do que todos os que já disputei. Após os títulos de 2013 e 2016, entro mais visada no tatame pelas minhas rivais. Não é fácil carregar o back number dourado, mas te garanto que não há prazer maior.
 
Antes do Mundial, Rafaela ainda terá alguns compromissos com a Seleção. Entre os dias 1 e 8 de julho, treina com o time na Espanha. Já em agosto, entre 6 e 12 de agosto, e 19 a 26, participa de treinamentos em Pindamonhangaba (SP) e Paris (FRA), respectivamente.